domingo, 30 de abril de 2017

Onde está a Graça?


No coração do palhaço às vezes mora uma farsa, mas com a cara pintada, despercebido ele passa. Palhaço também é gente, seu coração também sente a dor de alguma desgraça. E o palhaço o que é? É ladrão de mulher! Trecho da canção: O Mundo do Circo

Conheço e admiro pessoas que dedicam seu tempo para levar um pouco de riso e humor para o necessitado, pessoas que muitas vezes pintam o rosto e se fantasiam não por profissão, mas por caridade bem na filosofia de Patch Adams, doutores da alegria, e outras correntes semelhantes. Por menor que seja o ato de caridade, um pouco de conforto é bom.

Já participei de uma ação beneficente para crianças junto com um grupo do curso técnico, fui fantasiada e foi muito bacana, mas por incrível que pareça o que mais me marcou foi o olhar triste escondido atrás da alegria contida de ganhar presentes e chocolates e brincar com a Chiquinha, Branca de Neve, Chapeuzinho Vermelho, entre outras personagens que nos vestimos. Existia uma dor muito maior que com a nossa partida voltaria a dominar. A caridade, o humor, o riso são remédios, sem dúvida são de grande ajuda. Mas como disse o trecho da música do Teixeirinha o coração sente a dor de alguma desgraça.

Esta experiência me fez perceber que falta em todos nós algo que seja duradouro, uma certeza que preencha um vazio na alma, e que todo bem que possamos fazer ao próximo não é capaz de preencher, nem para quem faz o bem nem quem recebe o bem. O palhaço é conhecido por fazer graça, mas a palavra graça significa favor, benevolência. Engraçado é aquele que é agradável, cheio de graça. Nem sempre um palhaço é engraçado, às vezes ele é apenas divertido, te faz olhar para o lado inverso do seu problema.

Vemos no mundo religioso e secular muito movimento a fim de divertir o público, música, dança, teatro, versão popular e gospel de um mesmo conteúdo. O que é um grande perigo. Ninguém que esteja constantemente entretido, distante de suas dificuldades e de sua miséria consegue se reconhecer perdido e pecador o suficiente para achar a graça, ou para disseminá-la. O Salvador veio ao mundo para salvar pecadores, miseráveis, sofredores. O Senhor não veio escolher os justos, mas os fracos.

"E Jesus, tendo ouvido isto, disse-lhes: Os sãos não necessitam de médico, mas, sim, os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas, sim, os pecadores ao arrependimento". Marcos 2:17. 


Afinal onde está a graça? Onde há Cristo, há graça. E aqui se aplica o sentido de gratuito, favor imerecido, sem que nada tenha sido feito em troca para ter recebido algo. Nada me causa maior cuidado que manter próximo aos olhos de um incrédulo (aquele que não crê em Cristo como Salvador) a certeza de que não é o bem que fazemos que nos faz ganhar pontos numa escala evolutiva ou nos salva de um perigo eterno, é a fé em Cristo que nos livra da condenação, porque Deus é justo e misericordioso.

"Pois que aproveita ao homem ganhar o mundo inteiro, se perder a sua alma? Ou que dará o homem em recompensa da sua alma?" Mateus 16:26


Muito melhor é amar e servir ao próximo porque fomos amados e libertados de graça! Rendemos graças a Deus (aqui no sentido de gratidão) por sua misericórdia. Nada vale mais que uma alma por quem o próprio Deus entregou seu precioso filho Jesus para morrer na cruz, para que a justiça fosse feita, e o salário do pecado (a morte) fosse pago.

O palhaço diverte e
, diz a música, é ladrão de mulher. A fé em Cristo converte, diz a palavra, ao ladrão e a mulher e assim achados em seus delitos nada terão a pagar, nem dar o tanto dos bens de sua casa em troca. Suas consciências não aceitará distanciar qualquer outra pessoa da possibilidade de perder o conhecimento da mesma graça, e não é uma questão de preconceito contra doutrinas que negam a verdade. É uma questão de princípio, pela certeza que melhor que dar o que alivia é manter perto Aquele que salva. 


sábado, 22 de abril de 2017

Depressão Incolor

Cena do Filme Never Let Me Go

Palmadas não livra ninguém da depressão. 

A disciplina, a correção na infância é importante, pois é a fase que os pais têm para educar e guiar seus filhos nos caminhos que acham certo. E mesmo as crianças que foram castigadas por seus erros na hora adequada não estão imunes da depressão. É muito fácil diagnosticar falta de surra para um deprimido e não ajudar.

Até meus 11 anos de idade tudo corria bem na minha vida, exceto o fato de que minha mãe não curtia a presença de coleguinhas em casa e na escola eu percebia que existia essa relação muito próxima entre elas e eu nem imaginava como era. Aos 12 começaram as crises epiléticas, e aí se pudessem não me deixariam nem ir à escola quanto mais na casa de colegas! Zelo.

E assim segui minha vidinha de casa para escola e da escola para casa até concluir o ensino médio. Minhas férias, feriados e finais de semana eu passava em casa. Aulas vagas, em casa. Excursão da turma, em casa. Ai que dó! Não, não é o objetivo causar pena, até porque passou! Vão me entender mais a frente.

Nesse período não tinha acesso à internet em casa. Meu acesso a novos horizontes eram bem restritos. Como escrevi aqui, com essa onda da Baleia Azul, muitos criticam as crianças pelo uso inadequado da tecnologia, como se a tecnologia fosse a grande responsável pelas fragilidades delas. Tomei muita chinelada e isso não foi vacina contra a depressão.

A disciplina na minha infância e juventude me deixou alerta sobre as más intenções do mundo. Aprendi que na dúvida é melhor desconfiar; aprendi que chorar faz parte e que minhas lágrimas não vão comover quem não quiser ser comovido; aprendi que só nos ajuda quem quer e muitas vezes somente se a gente pedir; aprendi que o que não é dito não é considerado e às vezes o que é dito também não. Aprendi um monte de coisas que nem sei se estão certas, mas serviram como freio para muitos pensamentos horríveis com que tive que lidar ao longo da vida.

É aparentemente mais fácil para Satanás tentar uma criança sujeita a centenas de estímulos virtuais e reais do que uma criaturinha como eu na época cercada pela mãe nos 4 cantos da casa. Ledo engano. Eva não tinha mãe, mas também não tinha TV e internet e a serpente a encontrou e a fez pecar. Mas eu saí na vantagem sobre Eva, pois como disse, aprendi com minha mãe a desconfiar. (Vantagem mais literal que real, pois Eva tinha a presença de Deus!).

Já não era mais adolescente, mas ainda estava no meu confinamento, quando o acesso a internet chegou em casa (meus irmãos já usavam internet fora de casa). Consegui me reconectar com meus colegas de escola e descobri que quase todos estavam casados, com filhos. Vi que o mundo tinha girado para todos menos para mim. Aqui começou o problema. Olha a tal tecnologia! Não, foi à luz sobre os fatos. Se as notícias tivessem chegado por carta o efeito seria o mesmo.

Nesses meus primeiros contatos com o mundo virtual encontrei um site que muito me ajudou em uma centena de dúvidas a respeito da vida, de Deus, da fé. O site é www.respondi.com.br. Achei muito conteúdo interessante do autor. Mas não confiei cegamente, só continuei e continuo acompanhando-o por encontrar respaldo de tudo que ele escreve em seus blogs. Tive sorte por ter encontrado um blog de um tiozinho que tinha abandonado a macrobiótica e não o do de um psicopata sedutor que podia me induzir a uma série de absurdos e quem sabe ao suicídio? Não chamo de sorte. Uma parte eu chamo de mãe a outra de Deus.

Após 1 ano com internet me inscrevi num curso técnico e voltei a estudar. Terminei o curso comecei a trabalhar, entrei para a faculdade, terminei a faculdade, fui promovida e isso tudo foi em apenas 6 anos! No final de 2015, quando a correria estabilizou e aparentemente eu não estava mais tão atrás na corrida da vida, me bateu aquela depressão. E adivinhem o que eu ouvi? Merece palmadas! Quem pega o bonde andando acha que é frescura!

Se você é adulto, fica a dica: cuidado em para quem você pensa em pedir ajuda. Muitas vezes a mesma pessoa que te ajudou um dia sem saber que o fez, não é capaz de fazer o mesmo se for acionada para tal. Desconfie. Nestas horas temos a principal saída que é a oração para quem tem fé, (quem não tem fé oro para que tenha, pois não há alternativa) e apesar dos preconceitos a psicoterapia ajuda muito a entender a falta de lógica da mente na tomada de certas ações e que podem ser tomadas conscientemente daqui para frente! Ao contrário do que pensam e dizem um psicólogo não vai ameaçar a sua fé e convencê-lo a seguir Buda ao invés do Senhor Jesus. Se você quiser ser induzido a isso, será escolha sua e você nem vai poder culpá-lo se decidir negar a cruz.

Leia também Altruísmo x Depressão