sábado, 22 de abril de 2017

Depressão Incolor

Cena do Filme Never Let Me Go

Palmadas não livra ninguém da depressão. 

A disciplina, a correção na infância é importante, pois é a fase que os pais têm para educar e guiar seus filhos nos caminhos que acham certo. E mesmo as crianças que foram castigadas por seus erros na hora adequada não estão imunes da depressão. É muito fácil diagnosticar falta de surra para um deprimido e não ajudar.

Até meus 11 anos de idade tudo corria bem na minha vida, exceto o fato de que minha mãe não curtia a presença de coleguinhas em casa e na escola eu percebia que existia essa relação muito próxima entre elas e eu nem imaginava como era. Aos 12 começaram as crises epiléticas, e aí se pudessem não me deixariam nem ir à escola quanto mais na casa de colegas! Zelo.

E assim segui minha vidinha de casa para escola e da escola para casa até concluir o ensino médio. Minhas férias, feriados e finais de semana eu passava em casa. Aulas vagas, em casa. Excursão da turma, em casa. Ai que dó! Não, não é o objetivo causar pena, até porque passou! Vão me entender mais a frente.

Nesse período não tinha acesso à internet em casa. Meu acesso a novos horizontes eram bem restritos. Como escrevi aqui, com essa onda da Baleia Azul, muitos criticam as crianças pelo uso inadequado da tecnologia, como se a tecnologia fosse a grande responsável pelas fragilidades delas. Tomei muita chinelada e isso não foi vacina contra a depressão.

A disciplina na minha infância e juventude me deixou alerta sobre as más intenções do mundo. Aprendi que na dúvida é melhor desconfiar; aprendi que chorar faz parte e que minhas lágrimas não vão comover quem não quiser ser comovido; aprendi que só nos ajuda quem quer e muitas vezes somente se a gente pedir; aprendi que o que não é dito não é considerado e às vezes o que é dito também não. Aprendi um monte de coisas que nem sei se estão certas, mas serviram como freio para muitos pensamentos horríveis com que tive que lidar ao longo da vida.

É aparentemente mais fácil para Satanás tentar uma criança sujeita a centenas de estímulos virtuais e reais do que uma criaturinha como eu na época cercada pela mãe nos 4 cantos da casa. Ledo engano. Eva não tinha mãe, mas também não tinha TV e internet e a serpente a encontrou e a fez pecar. Mas eu saí na vantagem sobre Eva, pois como disse, aprendi com minha mãe a desconfiar. (Vantagem mais literal que real, pois Eva tinha a presença de Deus!).

Já não era mais adolescente, mas ainda estava no meu confinamento, quando o acesso a internet chegou em casa (meus irmãos já usavam internet fora de casa). Consegui me reconectar com meus colegas de escola e descobri que quase todos estavam casados, com filhos. Vi que o mundo tinha girado para todos menos para mim. Aqui começou o problema. Olha a tal tecnologia! Não, foi à luz sobre os fatos. Se as notícias tivessem chegado por carta o efeito seria o mesmo.

Nesses meus primeiros contatos com o mundo virtual encontrei um site que muito me ajudou em uma centena de dúvidas a respeito da vida, de Deus, da fé. O site é www.respondi.com.br. Achei muito conteúdo interessante do autor. Mas não confiei cegamente, só continuei e continuo acompanhando-o por encontrar respaldo de tudo que ele escreve em seus blogs. Tive sorte por ter encontrado um blog de um tiozinho que tinha abandonado a macrobiótica e não o do de um psicopata sedutor que podia me induzir a uma série de absurdos e quem sabe ao suicídio? Não chamo de sorte. Uma parte eu chamo de mãe a outra de Deus.

Após 1 ano com internet me inscrevi num curso técnico e voltei a estudar. Terminei o curso comecei a trabalhar, entrei para a faculdade, terminei a faculdade, fui promovida e isso tudo foi em apenas 6 anos! No final de 2015, quando a correria estabilizou e aparentemente eu não estava mais tão atrás na corrida da vida, me bateu aquela depressão. E adivinhem o que eu ouvi? Merece palmadas! Quem pega o bonde andando acha que é frescura!

Se você é adulto, fica a dica: cuidado em para quem você pensa em pedir ajuda. Muitas vezes a mesma pessoa que te ajudou um dia sem saber que o fez, não é capaz de fazer o mesmo se for acionada para tal. Desconfie. Nestas horas temos a principal saída que é a oração para quem tem fé, (quem não tem fé oro para que tenha, pois não há alternativa) e apesar dos preconceitos a psicoterapia ajuda muito a entender a falta de lógica da mente na tomada de certas ações e que podem ser tomadas conscientemente daqui para frente! Ao contrário do que pensam e dizem um psicólogo não vai ameaçar a sua fé e convencê-lo a seguir Buda ao invés do Senhor Jesus. Se você quiser ser induzido a isso, será escolha sua e você nem vai poder culpá-lo se decidir negar a cruz.

Leia também Altruísmo x Depressão

sábado, 8 de abril de 2017

Sangue Derramado


Recentemente ocorreu uma série de acontecimentos que parecem nada ter a ver um com o outro, mas que tocou em algo dentro de mim que me fez refletir um pouco. Certa vez conheci um rapaz muito bonito, de presença forte, rígida, intimidativa. Daquelas pessoas que sem perceber queremos evitar a todo custo e dependendo da situação até nos esquecemos de que é um ser humano com sonhos, alegrias, tristezas. Parecia mais uma máquina de trabalhar que executava tudo com uma precisão e qualidade ímpar. No entanto, uma notícia vinda há, exatamente, um ano desse encontro me chocou de uma forma incompreensível: ele está com um problema de saúde grave e afastado de suas atividades. Esse foi o primeiro acontecimento.

Uma irmã de fé, nos últimos tempos também adoeceu e também foi afastada de suas atividades e soube disso de uma forma não muito convencional para quem já foi tão próxima. Esse foi o segundo acontecimento. O terceiro foi um sincero convite que compartilhei com meus contatos para um evento beneficente, onde correram duas semanas sem nenhuma confirmação, e que uma mensagem de um amigo me fez desiludir do meu espírito benfeitor.

De onde veio tanta compaixão pelo rapaz sendo que quando tive oportunidade mal olhei nos seus olhos diante da sua presença? Nem preciso ir muito longe, ele é uma pessoa admirável, só que era um encontro de duas personalidades fortes e de dura cerviz, onde o seu personagem, por assim dizer, não permitia um embate pessoal e muito menos profissional. Mas imaginá-lo fora de sua armadura, me levou a olhá-lo mais a fundo, e eu sei o que pode existir além da força e rigidez.

Minha irmã de fé era alguém com quem eu vinha buscando sem muito tato marcar um encontro para conhecer sua recém-nascida (na ocasião). Diversas vezes tive meu objetivo frustrado, sem desconfiar que existisse algo de errado, afinal se não estivesse tudo bem 
ela teria me dito... Pretensiosa. Tudo que me vinha à mente era um sentimento de falta de consideração. O mesmo sentimento me veio com os convites frustrados de dupla causa beneficente, a minha e a do evento. Sabe aquela do ninguém me ama, ninguém me quer?

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo, que pacientemente já assistiu diversas de minhas crises existenciais, e sempre ao fim de uma “sofrência” me lembra de que o Seu divino amor me salvou dos meus pecados, e que toda a fraqueza da carne, as fragilidades do sangue, dos hormônios, tudo que nos atinge no corpo físico não deve nos abalar. O Senhor me tem por amiga, filha de Deus Pai pela fé em seu sacrifício.

Por esse amor que corre em mim, pelo poder do Espírito Santo, que eu consigo olhar além da minha própria teimosia para o coração do jovem enfermo, por quem estou cheia de zelo, pois me vejo nele em muitos aspectos. E
spero que ele esteja bem em sua alma, pois o físico dá para administrar até a vinda do Senhor para nos buscar. Por esse amor que oro do meu modo confuso, pela minha mana para sua recuperação, ou como disse pela administração do velho homem que infelizmente temos que carregar enquanto vivermos aqui. Esse velho corpo que adoece, que padece frio, calor, fome, sede. Esse velho corpo sensível e carente, que mendiga abraços e sorrisos, e quando não recebe sofre. Por esse amor pude ouvir com um pouco de dor algumas verdades sopradas em meus ouvidos, que provavelmente foram pensadas por muitos, mas apenas um sincero me permitiu conhecer os fatos e assimilar mais uma lição.

Que a limitação do corpo liberte o potencial do espírito, que as circunstâncias revelem seu aprendizado, e que se o Senhor quiser que a minha presença acrescente o que quer que seja na vida dos seus amados, estou à disposição, afinal “jovem serva” é o significado do meu nome.

Que o único sangue derramado a nos lavar daqui para a frente seja o precioso sangue de Nosso Senhor Jesus Cristo Salvador.

E disse-lhes: Isto é o meu sangue, o sangue do novo testamento, que por muitos é derramado. Marcos 14:24